Adicione aos favoritos, compartilheClique no botão Opções do Artigo;

18 de outubro de 2010

Modalidades de Logística

Logistica Empresarial: Importância crescente na atualidade

Das muitas mudanças ocorridas no ambiente empresarial, talvez a maior seja o enfoque na “velocidade”, alavancada pelo boom dos computadores e das telecomunicações. Tudo isso traz consequências
nas práticas de trabalho das empresas, que devem desenvolver estruturas organizacionais capazes de responder com rapidez e flexibilidade às exigências do mercado.

A competitividade de uma economia globalizada não permite mais empresas “amadoras” no mercado. O profissionalismo e a melhor alocação dos recursos organizacionais (produção, informação e logística) que estas empresas utilizam, irão definir não somente a sua sobrevivência, como o seu sucesso no mercado.

Os processos da logística interna são os responsáveis pela movimentação e armazenagem dos materiais dentro da empresa. Sem essas atividades, não haveria o fluxo e, portanto, as transformações que agregam valor aos produtos.

Na logística os suprimentos são os atores principais de toda a cadeia, é com base nas características dos suprimentos, que a logística define seus parâmetros de lead time, tipos de embalagem, as características dos equipamentos de movimentação, modais de transporte, áreas de armazenamento e os recursos humanos e financeiros necessários.

A logística de produção trata da movimentação dos fluxos dentro da empresa, ou seja, da movimentação que acontece entre as diversas áreas da empresa para que aconteça o processo. Um dos grandes benefícios que a logística de produção traz é a redução de estoques, em conseqüência de várias ações tomadas como: redução do tempo de produção; melhor rotatividade de estoques; redução de paradas e de retrabalho; redução do tamanho de lotes; e redução do estoque de segurança.

A logística de distribuição é uma das ferramentas que provêem a disponibilidade de produtos onde e quando são necessários, coordenando fluxos de mercadorias e de informações de milhares de pontos de vendas dos mais variados bens e serviços. É importante ressaltar que a logística de distribuição tem que encontrar o equilíbrio entre a qualidade de serviço, o custo e o capital investido. A logística tem sido vital nas estratégias do canal de distribuição, agregando valor na relação entre compradores e vendedores, providenciando meios eficientes de vender e entregar produtos aos clientes.

Cabe à logística integrada aperfeiçoar a movimentação do produto na cadeia, minimizando custos e gerando valor para o cliente. O sucesso de uma organização depende fortemente da logística adotada pela mesma, já que esse processo é imprescindível para que as atividades da organização estejam integradas. Boa informação é um ingrediente vital no planejamento, operação e controle de sistemas logísticos.

Os processos logísticos são de grande importância para o bom desempenho do Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos.

As principais atividades da logística são: embalagens, manuseio, movimentações, armazenamento, estocagem e transportes dos materiais ou produtos ao longo da cadeia de suprimentos.

O transporte é uma das principais funções logísticas. Além de representar a maior parcela dos custos logísticos na maioria das organizações, tem papel fundamental no desempenho de diversas dimensões do Serviço ao Cliente. As principais funções do transporte na Logística estão ligadas basicamente às dimensões de tempo e utilidade de lugar. A busca de otimização no transporte visa, principalmente, à satisfação do cliente, peça fundamental do processo, sendo o objetivo de toda e qualquer empresa satisfazer as necessidades do cliente, onde ele esteja no mais curto prazo, da melhor maneira e ao menor custo possível.

A gestão do processo logístico torna-se um diferencial competitivo, pois com o passar dos tempos os consumidores passam a ser mais exigentes com relação à qualidade dos produtos, tempo de produção e ciclo de vida dos produtos, prazo de entrega e mais recentemente, com o índice de inovações tecnológicas incorporados aos produtos.

O sistema de medição e avaliação de desempenho possui três objetivos fundamentais: monitorar, controlar e direcionar as operações logísticas. As medidas de monitoramento atuam no sentido de acompanhar o desempenho dos sistemas logísticos, identificando oportunidades de melhoria quanto aos aspectos de eficácia e eficiência.

A Internet bem como outras tecnologias de informação tem não apenas gerado necessidades específicas, mas também criado novas oportunidades para o planejamento, o controle e a operação das atividades de transporte. Dentre estas necessidades e oportunidades, poderíamos citar a crescente demanda por entregas mais pulverizadas, o surgimento de portais de transporte e o potencial para rastreamento de veículos em tempo real.

Existem diferenças fundamentais entre a Logística convencional e seu sistema reverso, dentre as quais estão: na Cadeia Logística convencional os produtos são puxados pelo sistema, enquanto que na Logística Reversa existe uma combinação entre puxar e empurrar os produtos pela cadeia de suprimentos. Isto acontece, pois há, em muitos casos, uma legislação que aumenta a responsabilidade do produtor. Quantidades de descarte já são limitadas em muitos países.

Os Fluxos Logísticos Reversos não se dispõem de forma divergente, como os fluxos convencionais, mas sim podendo ser divergentes e convergentes ao mesmo tempo. O processo produtivo ultrapassa os limites das unidades de produção no sistema de Logística Reversa.

A Logística Reversa pode ser classificada como sendo apenas uma versão contrária da Logística como a conhecemos. O fato é que um planejamento reverso utiliza os mesmos processos que um planejamento convencional. Ambos tratam de nível de serviço, armazenagem, transporte, nível de estoque, fluxo de materiais e sistema de informação. No entanto a Logística Reversa deve ser vista como um novo recurso para a lucratividade.

A logística verde é responsável por tornar possível o retorno de materiais e produtos, após sua venda e consumo, aos centros produtivos e de negócios, por meio dos canais reversos de distribuição agregando valor aos mesmos. Pode ser usada estrategicamente para manter os compradores fiéis aos seus respectivos fornecedores. A habilidade do fornecedor em providenciar o rápido retorno de produtos defeituosos, creditando o usuário o mais rápido possível, é uma dentre as diversas formas de cativá-lo e dificultar seu afastamento.

Um dos desafios dos empresários que atuam na logística verde é construir um modelo de distribuição reversa com parte da cadeia de distribuição direta, pois com a rapidez que um produto é lançado no mercado, o rápido avanço da tecnologia, juntamente com um grande fluxo de informações; a alta competitividade das empresas e o crescimento da consciência ecológica quanto às conseqüências provocadas pelos produtos e seus descartes no meio ambiente, estão contribuindo para a adoção de novos comportamentos por parte das organizações e da sociedade de um modo geral, sinalizando assim para uma valorização maior dos processos de retorno de produtos e materiais descartados no meio ambiente.

As empresas devem buscar um desempenho razoável em todas as suas competências logísticas: posicionamento, integração, agilidade e mensuração. Para o sucesso na implementação de estratégias de operação de logística deve-se sempre adotar a administração de um sistema de medida e avaliação de desempenho, além do desenvolvimento de uma estrutura organizacional apropriada para se atingir a excelência nas operações.

A valorização da atividade logística no planejamento estratégico das empresas é um indicador de sua importância na obtenção de constante melhoria de competitividade das organizações.

Para isso, a empresa utiliza novas técnicas e procedimentos, como parcerias e alianças estratégicas, voltadas para obtenção de vantagem competitiva frente à concorrência.

Por: Eliana de Souza
Fonte: Artigonal.com

Abaixo, alguns estudos interessantes sobre logística em PDF para você que quer implantar em sua empresa!

Logística Reversa

Como buscar o diferencial competitivo através da logística